terça-feira, 25 de junho de 2013

Saatchi Gallery

Lembra quando eu disse que não curtia arte moderna? Intaum, mordi muuuuito a língua.

Na Saatchi Gallery a arte não é moderna, é de ontem. E apesar de ter muita bizarrice espalhada, tudo, quase tudo, é muito agradável de olhar.



Li em algum lugar o seguinte:
"The art he (Saatchi) acquires is still always worth a look for Londoners, for the way it combines visual interest with an accessible conceptual punch."

Traduzindo bem marromenos: A arte exposta no Saatchi é bunita (interessante visualmente, é o que diz ali), e tem um quê conceitual que geral percebe. Entendeu? Nada de pontinho abacate no meio de tela fúcsia querendo expressar a relação intrínseca e transcedental entre o abajur cor de carne e o lençol azul.

Fofoca: Saatchi não é so onomatopéia de espirro, é o nome do fundador da galeria, um playboy publicitário colecionador de arte estranha, que se casou com a Nigella (que tem programa de culinária igual a Palmirinha), e semana passada saiu nos tablóides por tentar estrangulá-ela no meio dum restaurante.


4 comentários:

  1. Respostas
    1. Calma, calma... ela tá bem, ainda respira.

      Excluir
  2. Voticontá... depois q a Nigella passou pelo Brasil falando maravilhas da pizza paulistana e segurou carinhosamente uma coxinha, eu quero é q este marido dela, bullynador do pescoço da diva, deite na BR. #dramática
    Bjs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Minina, eu nem sabia que a Nigella tinha ido parar no Brasil, mas sim, esse tal de Saatchi vai arder no inferno.

      Excluir